terça-feira, 12 de abril de 2011

Os Segredos do Empreendedor Cristão de Sucesso

Nos últimos meses a crise econômica mundial tem provocado o crescimento da incerteza nos mercados, uma retração do nível de consumo e investimentos e uma cautela exacerbada dos empreendedores ante ao quadro econômico incerto que se apresenta. Por outro lado, a crise econômica pode também representar uma “janela de oportunidades” que se bem aproveitada pode conduzir a uma trilha de sucesso. Contudo, alguns cuidados precisam ser tomados para que a oportunidade de melhoria de vida não acabe levando o empreendedor e a sua família para uma situação delicada em decorrência do insucesso na nova empreitada. Esta situação nos permite questionar quais seriam os segredos do empreendedor cristão de sucesso?
Estudos de mercado demonstram que a taxa de mortalidade entre micro e pequenas empresas no Brasil são muito elevadas. Cerca de 60% das empresas fecham as portas com até 4 anos após iniciadas as atividades. Duas perguntas surgem naturalmente. O que leva alguém a abrir um negócio próprio? E, quais fatores contribuem com maior intensidade para o sucesso de uns e fracasso de outros?
Pesquisas recentes demonstram que as principais razões alegadas para a constituição de novas empresas são: o desejo de abrir um negócio próprio, a identificação de uma oportunidade, a necessidade de aumentar a renda familiar, a existência de recursos disponíveis, ou mesmo uma situação de desemprego. Entretanto, para muitos o que começa como um sonho acaba em pouco tempo virando um pesadelo.
Diversos fatores contribuem para o elevado índice de insucesso: falta de capital de giro, carga tributária elevada, insuficiência de demanda, concorrência elevada, baixa taxa de lucro, inadimplência elevada, má localização da empresa, falta e/ou desconhecimento de linhas de crédito, inexistência de uma estratégia de marketing ou estratégia de marketing mal elaborada, precificação equivocada, inadequação dos produtos e/ou serviços às necessidades do mercado, inexperiência dos gestores e desconhecimento de ferramental administrativo e contábil básico.
Como contraponto os principais fatores de sucesso das empresas que sobrevivem à selva do mercado são: criatividade, perseverança e capacidade de liderança do empresário, aproveitamento de oportunidades, capacidade para assumir riscos, conhecimento do ferramental administrativo e contábil, precificação correta do produto, utilização de capital próprio no investimento, existência de capital de giro, reinvestimento dos lucros na empresa e boa estratégia de marketing e vendas.
Entretanto, a primeira pergunta continua ainda sem ser respondida: Quais seriam os segredos do empreendedor cristão de sucesso?
Em primeiro lugar, além de observar e aprender com o fracasso de uns e sucesso de outros, é importante ter em mente que a abertura de um negócio é uma decisão muito séria. Não pode ser derivada de um impulso momentâneo, ou como dizem “por empolgação”, e sem a devida análise de riscos e alternativas. É preciso pensar com cautela, analisar as inúmeras possibilidades (custos de oportunidade), para somente quando houver a certeza de que este é o ramo certo e de que o empresário tem realmente vocação para esta atividade, a iniciativa deve ser tomada.
Paralelamente a isto é fundamental saber que a atividade profissional de qualquer cristão encontra-se no campo da vontade permissiva de Deus. Deus não decide por você. Ele orienta e abençoa. Assim, antes de tomar a decisão final é aconselhável colocar todos seus os planos no altar do Altíssimo. Não tenha pressa. Busque intensamente uma resposta de Deus. Escute a voz do Espírito Santo. Ele certamente testificará no seu coração e haverá paz acerca da decisão correta. Mas, fica uma observação. Não coloque a sua vontade acima da vontade do Senhor. Muitas vezes queremos tanto alguma coisa que não paramos para escutar a voz do Espírito Santo. Tenha paciência. O Senhor tem o seu tempo certo para agir e responder. Além disto, esteja também preparado para uma resposta negativa.
Após o Espírito Santo ter testificado em seu coração positivamente, a hora é de agir. Aí vem a segunda orientação. Elabore um Plano de Negócios. Ele vai ser a sua “bússola” para as tomadas de decisões corretas. Todo Plano de Negócios é composto por um: estudo de mercado do setor onde a empresa irá atuar; descrição da forma jurídica da empresa; análise de curtos fixos e variáveis; enquadramento tributário; composição do capital social; mobilização de capital humano, estrutura organizacional e definição de fluxos; Plano de Marketing; definição de metas; descrição da estrutura de comercialização e distribuição; análise de cenários envolvendo a matriz SWOT (forças, fraquezas, oportunidades e ameaças); diferencial competitivo; indicadores de viabilidade econômica; elementos estratégicos de viabilidade; e, plano operacional.
O mercado demonstra que os empresários que inicialmente elaboram um Plano de Negócios cometem menos erros, aumentam consideravelmente as chances de sucesso e aumentam a sua margem de lucro.
Finalmente, não esqueça nunca do seu abençoador. Coloque o seu negócio sempre nas mãos do Senhor. Habitue-se a todo dia antes de iniciar as atividades fazer um devocional no próprio local de trabalho, lendo a palavra, orando pela sua empresa, colocando nas mãos de Deus os problemas e as decisões que precisam ser tomadas. Ore também pelos seus funcionários, pelas pessoas que trabalham com você, pelos seus fornecedores e clientes. Estabeleça um momento na semana para na própria empresa realizar um momento de comunhão com leitura da palavra e oração. A sua empresa tem de ser muito mais do que uma fonte de renda para você e sua família. Ela tem de se tornar um espaço de evangelização, no qual a paz reine e as pessoas se sintam bem ao entrar, desejando sempre retornar.
Não deixe de devolver ao Senhor parte do que ele irá te dar por meio da sua empresa. Contribua alegremente para a obra por meio do dízimo, que é bíblico, e é uma demonstração de agradecimento por tudo àquilo que Deus dá e de subserviência a partir de uma vida dedicada ao Senhor.
Em síntese, o segredo do empreendedor cristão de sucesso é a adoção de uma gestão correta, respeitando os princípios da administração e utilizando corretamente as ferramentas de gestão disponíveis, e uma vida consagrada no altar do Senhor. Na próxima edição da revista daremos continuidade a este assunto.
Que o Senhor possa abençoar grandemente a sua vida!  

2 comentários:

  1. O mix entre economia e religião presente neste conteúdo demonstra que, embora existam incertezas quanto ao sucesso de seu negócio, o empreendedor precisa de uma postura profissional com a realização de uma pesquisa de mercado, um planejamento empresarial e uma administração responsável e eficiente de modo a obter ascensão financeira e um maior share.
    Mas além disso, ser obediente à vontade de Deus e ter fé e comunhão são tão importantes quanto qualquer ação humana.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Professor!!!Para mim seu texto está perfeito!! é isso aí mesmo!! quem está se aventurando num negócio "às escuras" deveria ler este artigo.Colocar os Planos de Deus acima dos nossos é um desfio e tanto!! mas tentar é a nossa obrigação.

    ResponderExcluir