sábado, 23 de julho de 2011

Reflexões sobre a profissão de economista - Parte 7 - Fortalecimento Institucional e Valorização Profissional

Após a eleição realizada no ano de 2010 e a recondução para a Presidência do CORECON-PA, a Gestão 2011, “Fortalecimento Institucional e Valorização Profissional”, realizou na data do dia 21 de janeiro de 2011, a exemplo do ano anterior, nova oficina de planejamento com as ações distribuídas nas seguintes comissões: Administrativo-Financeira, Assuntos Jurídicos, Assuntos Estratégicos, Valorização Profissional, Economistas Projetistas, Semana do Economista 2011 e Comunicação (A íntegra das apresentações pode ser acessada no sítio: http://www.coreconpara.org.br/apresentacao.asp). É com base neste planejamento que o trabalho vem sendo desenvolvido no CORECON-PA.
É de bom alvitre destacar que ainda em janeiro de 2011 criamos o Fórum de Presidentes dos Conselhos Regionais de Economia da Amazônia que passou a se reunir periodicamente tendo como principal objetivo a união de esforços em prol da valorização do profissional economista na região. Já tivemos algumas reuniões e frutos concretos já foram extraídos desta unidade.
Voltando especificamente para o CORECON-PA, o fato é que estamos agora começando a colher os frutos do que plantamos no ano passado e no início deste ano. Hoje o CORECON-PA já é uma instituição respeitada na sociedade. Prova disto é que o seu presidente recebe uma série de convites para participar de eventos e proferir palestras. Hoje quando o CORECON-PA se posiciona quanto a temas importantes a sociedade paraense presta atenção. A nossa voz é ouvida e respeitada. A Casa do Economista se consolidou na sociedade paraense como um lugar no qual a democracia é praticada. O nosso Conselho se tornou uma referência em termos de debates sobre assuntos fundamentais para o desenvolvimento do estado do Pará. Somente neste ano já realizamos debates sobre a problemática ambiental, a agenda mineral, o separatismo, a construção da UHE de Belo Monte, a reforma política e a reforma tributária. Hoje o que se discute dentro das paredes do Conselho reverbera amplamente. Isto é sem dúvida o resultado de uma gestão democrática e participativa. Diversos colaboradores participam de nossas atividades. Como sempre digo, a Casa do Economista é um espaço político que respeita e acima de tudo sabe trabalhar com as diferenças.
Chamo a atenção para os lançamentos que ocorrerão na Semana do Economista 2011 da Cartilha de Educação Financeira, da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) do CORECON-PA, do Perfil do Economista do Estado do Pará e do livro O Economista e a Sociedade. O primeiro - fruto de um brilhante trabalho do Vice-Presidente do CORECON-PA, o economista Oberdan Duarte - é além de um serviço que o Conselho presta a sociedade em geral, um canal efetivo de divulgação da profissão do economista. O segundo, a ART, é um antigo sonho que graças ao esforço da Comissão de Economistas Projetistas será efetivamente implementado pelo CORECON-PA e que irá valorizar e fortalecer a nossa categoria. O terceiro, elaborado pela Comissão de Valorização Profissional, finalmente apresenta um diagnóstico do profissional economista do estado do Pará que deve servir para fins de atuação do CORECON-PA e para reflexões sobre a nossa formação e atuação profissional. O quarto, fruto da Semana do Economista 2010, procura levar as discussões que travamos diariamente dentro da Casa do Economista para além de nossas paredes.
Com isto e as demais ações em andamento (cursos, palestras, oficinas de trabalho, ações no campo jurídico, visita a instituições públicas e empresas privadas), acreditamos que estamos efetivamente contribuindo para a efetiva valorização da profissão do economista e para o fortalecimento institucional de nosso Conselho. Aproveitando a oportunidade, convido todos para estarem no amplo debate que realizaremos por ocasião da Semana do Economista 2011. Tendo como principal tema a comemoração dos 60 anos de regulamentação da profissão do economista no Brasil, a Semana que acontecerá de 08 a 13 de agosto irá discutir desde a formação e a atuação profissional do economista até temas relacionados ao desenvolvimento do Pará, da Amazônia e do Brasil.

Um comentário:

  1. Durante este curto período de vida acadêmica, tive a oportunidade de presenciar vários debates e discussões saudáveis organizados pelo Corecon-Pa. E este é o papel do economista como agente social hábil a intervir na realidade. Possuímos uma vasta base teórica que precisa ser contextualizada com os dias atuais de modo que não subutilizemos todo esse conhecimento que adquirimos com tanto esforço durante os anos de estudo.

    Ah! Parabéns pela nova aparência do blog! Ficou muito bom.

    ResponderExcluir