quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Aspectos negativos da divisão do Estado do Pará são apresentados pelo economista Eduardo Costa

A convite da Associação Comercial do Pará (ACP), o Presidente do Conselho Regional de Economia do Estado (CORECON-PA) e Professor da Universidade Federal do Pará (UFPA), o economista Eduardo Costa, ministrou na terça-feira (27/09), a Palestra “Separatismo: Caminho para o Desenvolvimento ou Panacéia?” que teve como objetivo alertar os formadores de opinião e representantes da sociedade civil, apontando com dados técnicos econômicos e sociais que a divisão do Estado do Pará não trará benefícios a população de nenhuma das regiões fragmentadas.


A real capacidade de intervenção e de investimentos do Estado, a necessidade de políticas públicas eficientes, a ausência de um estudo científico aprofundado que aponte para a viabilidade da divisão e a insustentabilidade financeira dos novos estados a serem formados. Esses foram os principais pontos trazidos para reflexão pelo economista, durante sua apresentação. “Os três Estados que se formariam não teriam como se manter. Seriam muito frágeis economicamente e politicamente para empreender investimentos e trazer recursos”, afirmou o economista.
 Eduardo Costa chamou a atenção também para a necessidade de uma agenda fundamental que precisa ser discutida. Para ele é necessário avançar em aspectos relacionados a gestão de políticas públicas, promover uma mudança radical na trajetória de desenvolvimento do Estado, introduzir regras que reduzam impostos sobre a exportação de produtos industrializados, incentivando a verticalização da produção, mas principalmente fortalecer as instituições ligadas a área de planejamento descendo para o nível operacional, realizando a efetiva descentralização das políticas públicas e fortalecendo a capacidade de gestão dos municípios.
 “O separatismo não se combate com argumento, mas sim com fatos. Precisamos de um projeto de desenvolvimento estratégico para o Estado do Pará. Precisamos de uma visão de futuro que nos dê unidade e que rompa definitivamente com a nossa condição de periferia. Não podemos mais continuar sendo o “almoxarifado” do desenvolvimento alheio”, ressaltou Eduardo Costa.
 O evento contou com a participação de empresários locais, além do Presidente da ACP Sérgio Bittar, do Deputado Federal Zenaldo Coutinho e do Deputado Estadual Celso Sabino.

Texto: Andressa Ferreira - Assessora de Comunicação
Conselho Regional de Economia do Pará

8 comentários:

  1. Precisamos de mudanças que nos traga perspectivas de melhoras, porque entra governo e sai governo e não vemos acontecer as promeças feitas nas campanhas políticas. Está faltando saúde, educação, lazer, segurança e etc.
    Sou a favor da divisão do estado, porque os novos estados vão ter oportunidade de crescer, as verbas vão se expandir mais, e chegar aonde antes não chegava, dando atenção aos que residem em cidades distantes da capital.
    Como diz o deputado tiririca: PIOR DO QUE TÁ NÃO FICA!

    ResponderExcluir
  2. Sou a favor da divisao do estado, e todos deveriam ser, so ira trazer beneficios...
    "Se o governo nao tem R$67,00 para pagar um professor, por que nao dividir?"
    Foi justamente essa divulgaçao do governo que me fez mudar de ideia. "eu era contra"

    ResponderExcluir
  3. não sou a favor da devisão,sei que basta acabar as eleições o pará vai continuar o mesmo,vocês vam ver.eu sei que sim sou paraense papa chibé.

    ResponderExcluir
  4. A criação de novos estados só irá aumentar a pobreza, pois os novos estados, durante um bom tempo (aprox. 200 anos), não conseguirão compensar os gastos com a máquina pública, além de servir como uma "coméia" de corrupção, e o povo, se lasca mais uma vez. Estima-se que de cada R$ 100,00 reais investidos nos novos estados pelo governo federal, R$ 32,00 sejam desviados, como aconteceu recentemente na ALEPA.

    ResponderExcluir
  5. concordo com quem é contra a divisão
    como o Pará vai se manter já que o governo federal não encaminha verba para estados que se dividem? unidos venceremos

    ResponderExcluir
  6. sou a favor da divisao por que do jeito que ta nao da pra continuar de que adianta ser paraense de coraçao na miseria famoso nenhum vai dar dinheiro para as pessoas que estao precisando..

    ResponderExcluir
  7. ssou contra essa DIVISAO,ACHO Q O NOSSO PARA TEM ALGO MAIS SERIO PARA OS POLITICOS SE PREOCULPAREM.

    ResponderExcluir
  8. com divisao o Para nao vai melhorar.. afinal, se tivermos uma boa administracao.. não precisa da divisao. basta a consciência dos nossos governantes e da população..

    ResponderExcluir