sábado, 3 de dezembro de 2011

COFECON - Novos conselheiros federais são eleitos

O Conselho Federal de Economia realizou na tarde de hoje (01) a Assembleia de Delegados Eleitores, encontro no qual representantes dos economistas de todo o país elegem os novos conselheiros federais. Os economistas eleitos pelo colegiado são: Antonio Eduardo Poletti, Roridan Penido Duarte, Eduardo José Monteiro da Costa, Fabíola Andréa Leite de Paula, Julio Alfredo Rosa Paschoal e Wellington Leonardo da Silva como conselheiros efetivos; e Antonio Eduardo Nogueira, Carlos Henrique Tibiriçá Miranda, Júlio Flávio Gameiro Miragaya, Lourival Batista de Oliveira Junior, Nei Jorge Correia Cardim e Paulo Roberto Lucho como conselheiros suplentes. O mandato tem a duração de três anos (2012-2014). A apuração (foto) foi realizada pelos delegados Paulo Salvatore Ponzini (MS) e José Luiz Amaral Machado (RS).
A eleição começou às 12 horas e foi realizada no Hotel Nacional, em Brasília. Duas chapas foram apresentadas, sendo que nove nomes eram comuns a ambas. A diferença estava nos nomes de Vicente Ferrer Augusto Gonçalves e Wereque Paulo Pinheiro Trajano como conselheiros efetivos (nos lugares ocupados por Fabíola de Paula e Julio Paschoal na chapa 1); e Carlos Alberto Maranhão como conselheiro suplente (no lugar ocupado por Carlos Henrique Tibiriçá Miranda na chapa 1).
A chapa 1, vencedora, obteve 285 votos; a chapa 2 teve 51 votos; e houve um voto em branco.



Conselheiro suplente (2012)
A morte do conselheiro Osmar Sepúlveda deixou aberta uma vaga de conselheiro efetivo. O plenário escolheu o conselheiro suplente Virgílio Pacheco para assumir a efetividade. Desta forma, ficou aberta uma vaga de conselheiro suplente com mandato até 31 de dezembro de 2012.
O preenchimento desta vaga não estava previsto no edital de convocação da Assembleia de Delegados Eleitores. Mas foi permitido que os delegados votassem em um nome para ocupá-la, devendo o plenário do COFECON decidir se a vaga será preenchida ou deixada em aberto. Nesta votação, Carlos Alberto Maranhão obteve 189 votos.

Como funciona a eleição
A Assembleia de Delegados Eleitores é realizada todos os anos para escolher os novos conselheiros federais. Quando os economistas elegem seus conselheiros regionais (normalmente no mês de outubro), cada chapa tem também dois candidatos que aparecem como delegados eleitores (um efetivo e um suplente). Estes delegados vão à Assembleia e, de acordo com a quantidade de economistas adimplentes em seu Conselho Regional, possuem uma quantidade específica de votos. A proporção é de um voto para cada cem economistas, até o limite de 2.000 profissionais; e acima deste limite, um voto para cada duzentos economistas. Desta forma, cada delegado eleitor tem um total de votos proporcional à quantidade de economistas que representa.

Texto: Manoel Castanho - Jornalista do COFECON
Fonte: http://www.cofecon.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=2414&Itemid=1

Um comentário:

  1. Daqui a pouco vai aparecer economista dizendo que o "Pará" vai ter 3 votos no COFECON ao invés de um, se for dividido. Isso se o Célio, Costa igual ao senhor, já não disse.

    ResponderExcluir