sábado, 10 de dezembro de 2011

Os sete erros capitais do marketing político separatista


           A campanha do horário eleitoral gratuito da televisão e rádio provou o que muita gente já sabe, mas infelizmente outros insistem em não ver. Ainda há aqueles que não valorizam a mão-de-obra local em detrimento a “salvadores da pátria” importados. A campanha favorável da divisão do estado do Pará importou o Duda Mendonça, um marqueteiro baiano famoso por ter participado de grandes campanhas políticas em nível nacional. Informações oficiosas dão conta de que mais de 60 profissionais de fora do estado ficaram hospedados no Hotel Sagres durante o período de campanha gerando um gasto superior a R$ 5 milhões. Todavia, nem os profissionais importados e nem o elevado montante gasto impediu que alguns erros “grosseiros” fossem cometidos nesta campanha pelos separatistas.

Primeiro erro
A campanha do SIM iniciou errada ao propalar a informação falsa de que os recursos do FPE iriam aumentar com a divisão do estado.

Segundo erro
Logo após apelou-se para uma cena forte que gerou indignação na população do estado ao apresentar pessoas levando tapas na cara.

Terceiro erro
Outra tentativa de causar impacto expôs a miséria do estado do Pará, apresentando cenas muito fortes de exclusão social com crianças e idosos. A mensagem lida pela população foi a de que estavam dizendo que o Pará é o pior lugar do mundo para se morar. Isto mexeu com o brio do paraense.

Quarto erro
De uma forma infantil se preocuparam muito mais em mostrar exemplos de outros estados do que apontar uma proposta de desenvolvimento para as regiões que procuram a emancipação.

Quinto erro
Trataram a população paraense como acéfala ao importar desde um Padre de Tocantins até o Paulo Henrique Amorim, que numa fala decorada tentava fazer com o que o paraense acreditasse que a divisão seria boa para todo mundo. Será que não havia ninguém aqui da terra que pudesse defender estes ideais?

Sexto erro
Em um ataque de desespero os separatistas passaram a agredir a pessoa do Governador do Estado do Pará, esquecendo que muitos líderes separatistas fazem parte da base governista. Muitos dizem que o senhor Duda Mendonça acabou adotando uma estratégia político-eleitoreira a mando da cúpula nacional do PT, ludibriando a própria cúpula separatista local. Eu mesmo me perguntei sobre a finalidade da campanha separatista, se era realmente a divisão territorial do Pará ou a desestabilização política do governo com vistas as próximas eleições para Governo do Estado.

Sétimo erro    
Outro fato curioso é que a campanha política dos separatistas foi desigual. Os defensores do estado do Tapajós assumiram a criação do estado de Carajás. Entretanto, quem defendia o estado de Carajás não apresentavam o mesmo afinco pela criação do estado de Tapajós. O maior erro daqueles que lutaram pela criação do estado de Tapajós foi ter atrelado a sua campanha a criação do estado de Carajás.

Em síntese

O feijão com arroz do marketing político do Duda Mendonça não deu certo no Pará. A nossa “prata da casa” deu banho de competência, criatividade e de conhecimento da cultura local. Uma lição tirada deste processo é que nem sempre pacotes prontos resolvem uma campanha. As peculiaridades locais são muitas vezes determinantes. Parabéns a Produtora 3D e as agências Griffo, Gama, Galvão e Mendes. Precisamos valorizar mais a nossa mão-de-obra local.

8 comentários:

  1. estes setes erros foram muito bem elaborados mas faltou o OITAVO ERRO: a campanha do sim so mostra pessoas desconhecidas(principalmente crianças que comovem mais rapido)já o não tem os trez paraenses mas influentes no ramo esportivo,musical e artistico: paulo henrique ganço, fafa de belém e dira paz...entre outros artistas locais, porque sera que o sim não tem nem uma pessoa conhecida desses ramos apoiando e se tem porque não se mostraram?

    ass: giselly nunes (filha do luizinhotaxista)

    ResponderExcluir
  2. Faltou dizer que aa campanha do não copia uma do DUDA...

    kkkk

    Parabéns pela copia Orly...

    ResponderExcluir
  3. Boa análise. Copiei-a e postei em meu blog.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelos comentários, Eduardo...Entretanto, o erro CRASSO dos políticos separatistas foi deixar BEM A MOSTRA a ganancia pelo poder quando projetaram dividir o PARÁ em três de uma só vez. Coisa de ALOPRADOS, mesmo.
    Abraço.
    JBMP

    ResponderExcluir
  5. Não precisava mostrar aos incomptentes marqueteiros separatistas e politicos separatistas seus erros, que eles possam aprender sozinhos. Para continuarem errando.

    ResponderExcluir
  6. O grande problema e que vcs se acham,venham viver a nossa realidade pra depois nos criticar,vcs ficam na grande belem e nao tem nocao do que se passa no interior,e quanto mais vcs nos agredirem da forma como nos agridem maior vai ser a nossa aversao a vcs da grande Belem,nos so estamos aqui no sul do Para porque vcs nao tiveram coragem de desbravar,a nossa regiao e formada de gente guerreira e trabalhadora e nao por forasterios,aloprados,separatistas e etc como vcs nos entitulam

    ResponderExcluir
  7. Outro erro dos separatistas, foi se fazerem de vitimas e culpando Belém de tudo de ruim que acontecia com eles, esquecendo de fazer uma proposta concreta por que a divisão era boa!

    ResponderExcluir
  8. realmente esse jogo de 7 erros pode até estar errado mas queria que vc passe 4 anos morando na região do tapajos e saberia como daqui a 4 anos vc estaria participando da camapnha do sim..

    ResponderExcluir