quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Amizade


Gostei de uma nota que saiu na Coluna do Bernardino Santos no Jornal O Liberal que transcrevo literalmente a seguir.

“Na sociedade competitiva em que vivemos, o elogio passou a ser uma regra em extinção. No trabalho, elogiar o colega pode significar depreciação de si mesmo em frente ao chefe (...) As amizades são movidas cada vez mais por interesses e contingências. Sobre isto dizia Voltaire: ‘Os malvados só tem cúmplices; os festeiros, companheiros de farra; os ambiciosos, sócios; os vagabundos tem contatos, e os príncipes, cortesãos – mas só as pessoas virtuosas têm amizades’.”  

Nenhum comentário:

Postar um comentário