quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Mercado aposta em novo aumento dos juros


O Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil (COPOM) iniciou no dia de ontem, terça-feira, mais uma reunião de avaliação de conjuntura para avaliar a tríade inflação, crescimento e juros. Os economistas do mercado financeiro, por meio dos meios de comunicação, mantiveram, na semana passada, a previsão de que os juros básicos da economia, atualmente em 8,5% ao ano, serão elevados para 9% pelo COPOM. Se confirmado, será o quarto aumento consecutivo nos juros, que começaram a avançar em abril deste ano para conter a aceleração da inflação.
Como contraponto, em relação ao PIB o mercado baixou sua expectativa, em 2013, de 2,21% para 2,20% de expansão. Já para 2014, a estimativa de crescimento da economia recuou de 2,50% para 2,40%.
Pelo sistema de metas que vigora no Brasil, o Banco Central procura calibrar a taxa básica de juros para atingir as metas pré-estabelecidas, tendo por base o IPCA. Para 2013 e 2014, a meta central de inflação é de 4,5%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Deste modo, o IPCA pode ficar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja formalmente descumprida.
Infelizmente, segundo a estimativa de economistas ligados ao mercado financeiro, esta alta dos juros, programada para esta semana, não deverá ser a última deste ano. Estimam que os juros atinjam 9,5% até o final de 2013. Isto significa que uma parcela maior do orçamento federal ficará comprometida com o pagamento de juros da dívida pública.

Nenhum comentário:

Postar um comentário