terça-feira, 5 de novembro de 2013

Política monetária deve continuar “especialmente vigilante”

         Em palestra durante a abertura do V Fórum sobre Inclusão Financeira, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, afirmou que a política monetária deve continuar “especialmente vigilante”. A principal preocupação é com a aceleração da inflação. Como resultado, é de se esperar a continuidade da tendência de alta da taxa básica de juros. A cadeia causal é fácil, portanto de entender: elevação da taxa básica de juros (Selic) → redução da inflação → diminuição do crescimento econômico. Ainda como resultante do aumento da Selic → aumento das taxas das operações de mercado aberto → aumento do passivo do governo federal → maiores gastos com pagamento de juros e amortizações da dívida pública federal → comprometimento de uma fatia maior do orçamento público federal com este gasto (em 2012% comprometeu 43% do orçamento federal) → necessidade de política fiscal ortodoxa → garantia do percentual do superávit primário → menos recursos para outros gastos (saúde, educação, saneamento...) → diminuição do crescimento econômico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário