quarta-feira, 15 de julho de 2015

Comparações entre EUA e Brasil – façam o que eu digo, mas não façam o que eu faço!


O governo dos EUA informou no dia de ontem que houve revisão nas projeções de crescimento da economia nacional para 2% em 2015, reduzindo a estimativa anterior que era de 3%. Ao mesmo tempo informou que estão aumentando drasticamente a estimativa de déficit fiscal, dos anteriores 128 bilhões de dólares, para 455 bilhões de dólares, em torno de 2,6% do PIB.
No Brasil o Ministro do Planejamento Nelson Barbosa ratificou aontem que a meta brasileira perseguida para 2015 é de um superávit de R$ 66,3 bilhões, 1,1% do PIB. Ao mesmo tempo informou que está sendo discutido no seio do governo a fixação de uma banda (faixa de tolerância) para a meta de superávit primário, em meio ao cenário de dificuldade de cumprimento do alvo fiscal.
De posse disto é inevitável não fazer algumas comparações. Os EUA têm crescimento econômico e o Brasil queda do PIB, as taxas de juros americanas são extremamente baixas se comparadas a Selic brasileira, nos EUA a discussão é pelo aumento do déficit fiscal e no Brasil é a garantia do superávit primário.
Às vezes me pergunto que manuais de macroeconomia eles estão usando lá? Parecem que estudam outra Teoria Macroeconômica? Acho que não, é a lógica do façam o que eu digo, mas não façam o que eu faço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário