segunda-feira, 7 de maio de 2018

➡️POLÍTICAS PÚBLICAS PARA EDUCAÇÃO – AUDIÊNCIA PÚBLICA VIRTUAL DA PRÉ-CANDIDATURA A DEPUTADO ESTADUAL DO PROFESSOR EDUARDO COSTA

As políticas públicas para educação são o tema de nossa terceira audiência pública virtual. Já debatemos em momentos anteriores a situação da juventude e da segurança, e chegou a hora da educação. Tenho clareza de que a construção de um futuro mais justo, inclusivo, com mais oportunidades para os nossos jovens e com menos violência, depende de políticas públicas efetivas na área educacional.
Tenho dito em diversos momentos que a superação de nossa condição de subdesenvolvimento, com verticalização da produção, diversificação da base econômica, ampliação das vagas no mercado de trabalho, aumento da empregabilidade, depende de investimentos prioritários em educação e no fomento e amparo à pesquisa, ou seja, em ciência, tecnologia e inovação. Hoje debateremos o que um deputado estadual pode e deve fazer para melhorar os nossos indicadores da educação. Noutra oportunidade debateremos a situação das pesquisas e o apoio a startups no Pará.
O objetivo destas audiências é consolidarmos ao longo da construção desta pré-candidatura um conjunto de “COMPROMISSOS” que iremos apresentar mais a frente, caso a candidatura seja efetivada em convenção partidária e nos tornemos efetivamente um candidato na próxima eleição.
Dê a sua opinião, participe da discussão, contribua, afinal juntos podemos assumir o protagonismo da construção de uma nova história em nosso estado!
ALGUNS DADOS SOBRE A EDUCAÇÃO NO ESTADO DO PARÁ
Para balizar o nosso debate, traçamos uma fotografia da educação no estado usando dados extraídos do Mapa da Exclusão Social do Estado do Pará 2017, elaborado pela FAPESPA. Ademais, a educação é tão estratégica para o desenvolvimento de uma sociedade que o Objetivo 4 dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) trata diretamente deste tema: “educação inclusiva e equitativa de qualidade e promoção de oportunidades de aprendizagem.”
No ano de 2016 a Taxa de Aprovação Total do ensino fundamental foi de 82% e do ensino médio de 75,1%. Por seu turno a Taxa de Reprovação Total referente ao mesmo ano foi de 13,4% para o ensino fundamental e de 9,3% para o ensino médio. Já a Taxa de Abandono Total foi de 4,6% no fundamental e de 15,6% no ensino médio.
Ao analisar os dados do Mapa elaborado pela FAPESPA é possível constatar alguns fenômenos na educação no estado do Pará. Além dos dados preocupantes referentes à reprovação e abandono, principalmente no ensino médio, é possível constatar ainda elevada distorção na correlação idade-série, o que demonstra um preocupante cenário de defasagem entre a série do aluno e a sua idade, sendo no ano de 2016 de 31% para o ensino fundamental e de 48,3% para o ensino médio; e a existência de 11,6% de analfabetos; e, a necessidade de se discutir estratégias para melhorar o desempenho dos alunos do estado na prova do IDEB.
Não tenho dúvidas que a questão da educação é sistêmica e envolve: cultura, família, mobilidade, segurança, infraestrutura de ensino, valorização dos professores, ambiente acadêmico, integração da escola com a comunidade, por exemplo.
O QUE ESPERAR DE UM DEPUTADO ESTADUAL?
Pelo desafio que está posto não resta dúvida de que a educação precisa ser encarada como prioridade por parte dos nossos representantes políticos. Em função disso, e sabendo que um deputado estadual trabalha fundamentalmente na fiscalização do Poder Executivo (Governo do Estado), na elaboração de Projetos de Lei e na definição de emendas parlamentares, a pergunta que norteia esse debate é: que tipo de ações você espera de um deputado estadual para a área da educação no estado do Pará?

Nenhum comentário:

Postar um comentário